GESTÃO 2019-2021

Nova administração da JFSC toma posse

11/07/2019
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • TRF4 no Flickr
  • Assine o RSS do TRF4

Com a presença do presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus, foi realizada hoje (11/7), em Florianópolis, a posse do juiz federal Alcides Vettorazzi como diretor do Foro da Justiça Federal em Santa Catarina (JFSC) para o biênio 2019-2021. Vettorazzi irá suceder a juíza federal Claudia Maria Dadico e terá como vice o juiz federal Vilian Bollmann, que já exerceu o cargo durante a gestão anterior.

A solenidade aconteceu no auditório da sede da JFSC e contou com a presença de autoridades, juízes, advogados, servidores e convidados. Ao final da cerimônia, Victor Laus lembrou que, ao assumir a Direção do Foro, “o magistrado se engaja em uma função que não é típica, pois que é administrativa e executiva, mas que coroa uma trajetória de êxito”.

Em sua manifestação, Vettorazzi – que assume a administração de uma estrutura com unidades em 22 municípios, 97 juízes, 1.048 servidores e 296 estagiários – falou sobre as atuais restrições orçamentárias e afirmou que “é hora de fazer mais com menos, o que implica abandonar o mais do mesmo – mais processos; mais varas, mais servidores”. Como medidas que reduzem custos e já são adotadas, o novo diretor citou como exemplos o processo eletrônico, a redução dos espaços de arquivos e o teletrabalho.

Ao se despedir, Dadico lembrou os impactos orçamentários da Emenda Constitucional nº 95, que limitou os gastos por 20 anos, obrigando a gestão a tomar medidas de economia. A juíza mencionou a mudança de sede de Itajaí, a redução do consumo de energia elétrica com a instalação de uma planta fotovoltaica na sede e a renegociação de vários contratos.

A magistrada destacou o projeto “Reconstruindo Caminhos”, que ofereceu trabalho para mulheres que cumprem pena em regime semiaberto. “O convívio diário de servidores, estagiários e demais colaboradores com as reeducandas, suas histórias de vida e seus desafios, contribuiu e tem contribuído para o desenvolvimento da diversidade na instituição, implementando maior representatividade da diversidade social, favorecendo sua legitimidade e credibilidade no contexto das instituições públicas”, observou.

Dadico ainda ressaltou a conversa com Gitta Schwartz, sobrevivente de Auschwitz, durante o Programa de Desenvolvimento Gerencial. Segundo a magistrada, Gitta deixou "a potente mensagem de que o melhor antídoto contra o poder destruidor do ódio discriminatório é o cultivo da tolerância, do respeito, da aceitação do outro e sua forma de existência”. Ao final, a juíza entregou uma homenagem à servidora Raquel Soares Bugarin Araújo, que exerceu a Direção da Secretaria Administrativa durante sua gestão.

Autoridades da mesa

Além do presidente do TRF4 e dos juízes citados, compuseram a mesa o desembargador Rodrigo Tolentino de Carvalho Colaço, presidente do Tribunal de Justiça de SC; a corregedora-geral da Procuradoria Geral do Estado, Rejane Maria Bertoli, que representou o governador do estado; o desembargador Jaime Ramos, vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral de SC; a desembargadora Mari Elida Migliorini, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região; a desembargadora federal Luciane Amaral Corrêa Münch, corregedora-regional da Justiça Federal da 4ª Região; o general de brigada Ricardo Miranda Aversa, comandante da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada; o advogado Rafael de Assis Horn, presidente da seccional catarinense da Ordem dos Advogados do Brasil; o procurador da República Darlan Airton Dias; procurador-chefe do Ministério Público Federal em SC; o procurador Fernando da Silva Comin, procurador-geral de Justiça de SC; o desembargador federal Jorge Antonio Maurique, coordenador do Sistema de Conciliação da 4ª Região e o procurador-geral de Florianópolis Ubiraci Farias, que representou o prefeito da capital.

O diretor-geral do TRF4, Gaspar Paines Filho, também compareceu na cerimônia.

O Hino Nacional foi interpretado pelo Grupo Vocal da Associação dos Servidores da JFSC, e o de Santa Catarina pelo barítono Fernando de Carli, com acompanhamento da Banda da Polícia Militar do Estado e regência do maestro capitão Fogaça. O grupo também cantou “Va pensiero”, da Ópera Nabucco, de Giuseppe Verdi.

Fonte: Comunicação Social / JFSC