EMAGIS

Magistrados da 4ª Região participam de workshop sobre o eproc

07/10/2019
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • TRF4 no Flickr
  • Assine o RSS do TRF4

Nessa tarde (7/10), juízes e desembargadores federais participaram do primeiro dia do workshop para aprimorar o uso de ferramentas do sistema de processo judicial eletrônico da Justiça Federal da 4ª Região, o eproc. As atividades, que ocorrem até amanhã na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), são promovidas pela Escola da Magistratura (Emagis) da corte.

Presente no cotidiano dos gabinetes, juizados especiais e seções judiciárias, a tecnologia utilizada na tramitação digital dos processos é apresentada de forma didática aos magistrados durante a oficina “O juiz como usuário do eproc”. Sob coordenação científica do juiz federal da 4ª Vara Federal de Passo Fundo (RS), José Luis Luvizetto Terra, as aulas têm o objetivo de capacitar os participantes em relação ao diversos recursos oferecidos pelo eproc. “O curso é uma ótima oportunidade para compartilhar as diferentes maneiras de usar o sistema”, comenta o coordenador.

As atividades de hoje foram abertas pelo diretor da Emagis, desembargador federal Márcio Antonio Rocha, que ressaltou a importância de os juízes conhecerem as diversas ferramentas do sistema para poderem aplicá-las no dia a dia com suas equipes. “Espero que os encontros futuros sejam para tratar das dúvidas que possam surgir a partir do que será aprendido neste workshop”, declarou Rocha.

Com a mistura da teoria e da prática, os magistrados exercitam o contato com a plataforma através da produção de materiais do cotidiano. Entre os tópicos a serem abordados na oficina, estão formas mais eficientes de utilizar as configurações dentro do eproc, de visualizar os relatórios de processos conclusos, analisar e criar minutas, relacionar a gestão de pessoas com o sistema eletrônico e criar automatizações a partir do funcionamento de cada unidade judicial.

Luvizetto Terra, que ministra as atividades, ainda destacou que o espaço deve estimular a troca de ideias e a criação de redes de contato entre juízes que utilizam o sistema para ações similares. “A aula também pode servir como bate-papo sobre estratégias de aplicação das ferramentas, principalmente, nos processos que podem ser automatizados”, apontou o juiz.

Eproc

O sistema de processo judicial eletrônico – eproc, utilizado em toda Justiça Federal da 4ª Região desde 2010, foi desenvolvido por servidores e magistrados. Com os anos, o sistema vem sendo aperfeiçoado, demandando a realização de curso de atualização para os usuários.