TRF4 na Feira do Livro: jovens da Fase que estagiam no tribunal lançam livro

11/11/2015 - 17h45
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • TRF4 no Flickr
  • Assine o RSS do TRF4
  • Clique para ler ou parar a leitura da notícia

Um livro é outro mundo, feito inteiramente de palavras. Muitas vezes, palavras que falam de uma realidade melhor, possível, uma realidade que nos faz pensar sobre a sociedade em que vivemos. Palavras que podem apontar mudanças. 

É esse espírito que marcou o lançamento do livro "Virando a Página - 2015", ocorrido na tarde desta quarta-feira (11/11) na 61ª Feira do Livro de Porto Alegre. Organizada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a coletânea traz trechos de textos de jovens da Fundação de Atendimento Socioeducativo do RS (Fase/RS) que estagiam no tribunal. Oito dos adolescentes estiveram no evento, ocorrido no Memorial do Rio Grande do Sul, e autografaram volumes da obra. 

Com auxílio de servidoras e professoras do curso de Letras da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC/RS), os jovens refletem por meio de trabalhos literários suas histórias de vida e visões de mundo, relacionando as experiências vividas na Fase/RS com aquelas passadas no tribunal. "São textos de vivências, construídos a partir de sentimentos e emoções. Para nós, divulgar esse trabalho deles é difundir a importância do trabalho social de acompanhamento desses jovens", explicou Cátia Segabinazzi, supervisora do Setor de Ações Socioambientais (Setasa) do TRF4, que abriga o Programa de Educação pelo Trabalho (PET), convênio entre o tribunal e a Fase firmado em 2004. 

"É um convênio consolidado, muito importante no nosso projeto de priorizar a educação desses jovens. Essa parceria de forma geral, e o 'Virando a Página' especificamente, permitem a esses jovens uma inclusão sociocultural essencial", refletiu o presidente da Fase/RS, Robson Luis Zinn. Para o TRF4, a parceria é igualmente produtiva: "O tribunal ajuda esses jovens a ver outro mundo e em troca exerce sua função social. Nos dá orgulho ver o pessoal aqui, dividindo suas histórias", contou Sandro Brescovit Trotta, diretor de Recursos Humanos do TRF4.

Cinco anos de revolução social

Esse é o quinto ano consecutivo do projeto "Virando a Página", que já lançou cinco edições. Para Rosane Ávila de Oliveira, servidora do TRF4 e idealizadora do projeto, a data é especial. "São cinco anos, os dedos de uma mão cheia. Hoje sabemos que a ideia transcendeu seu objetivo. No início a proposta era de propor a esses jovens uma revolução individual, intíma. Depois de todo esse trabalho, vemos que essas alterações se dão também em um âmbito social", concluiu. Para Camila Thomas Telles, atual organizadora do projeto, essa evolução se dá "por meio dos esforços, dos corações e mentes desses jovens, com desejo de mudança".

O volume desse ano é assinado por 13 jovens e foi dividido em quatro capítulos: "Paisagens Interiores", com textos produzidos junto a obras de Artes Visuais, nas oficinas ArtInclusão, do artista e educador Aloísio Pedersen; "#empoderaasmina", com trabalhos de temática feminista, relatando situações de abuso e refletindo o papel social da mulher; "Poesie-se", com poesias produzidas nas oficinas com professoras da PUC/RS; e "Outros Textos", de caráter mais geral, com relatos de vida.

Para a adolescente M. P., o lançamento é um "momento de felicidade": "Nossos textos são desabafos e poder compartilhar eles é uma oportunidade privilegiada", contou a jovem de 19 anos, estagiária do Setasa. Na abertura do lançamento, ela leu seu texto "#Empodera_asmina", um ensaio sobre os perigos dos relacionamentos abusivos.

Já para M. M. o lançamento é a conclusão de um ciclo de mudanças. "No começo das oficinas eu me sentia envergonhada, não sabia o que escrever. Com o tempo fui me liberando", lembra a estagiária da Diretoria de Recursos Humanos, de 18 anos. "O trabalho no tribunal tem sido um aprendizado, sei que hoje posso buscar um futuro melhor", completa a adolescente, com a certeza de estar escrevendo para si uma nova história.



Na publicação, jovens estagiários refletem sobre suas histórias de vida
Na publicação, jovens estagiários refletem sobre suas histórias de vida
Na publicação, jovens estagiários refletem sobre suas histórias de vidaJovens autografaram no Memorial do RGSSandro Trotta, diretor de Recursos Humanos, falou em nome do tribunal